Jerônimo Rodrigues, secretário de Educação da Bahia, dizia no fim de julho que esperaria ver o desempenho da Covid para avaliar se as aulas voltariam ou não. Agosto está caminhando para o fim e os sinais são péssimos, o próprio secretário admite.

Todo o cenário que se configura neste momento indica que em 2020 não haverá ano letivo. Veja os pontos:

1 - A Bahia entrou em agosto estável, mas a flexibilização dos últimos dias deu no previsto, o aumento dos casos, e a Covid voltou a crescer. Estão morrendo 70 pessoas por dia.

2 - São Paulo vinha servindo de baliza. Prometeu voltar às aulas em setembro, mudou para outubro e já admite adiar de novo. A primeira testagem em seis mil alunos lá deu que 16% dos alunos já tiveram contato, mas um em cada quatro tem gente com mais de 60 anos em casa.

3 - Todas as pesquisas mostram uma enorme reação dos pais de alunos, contra, no mínimo 70%.

4 - E os próprios professores reagem pesado, compreensível: grande parte está na linha de risco.

Eures Ribeiro (PSD), prefeito de Bom Jesus da Lapa e presidente da União dos Municípios da Bahia (UPB), fala apenas por ele, mas sintetiza o sentimento entre os colegas:

– Acho impossível ano letivo este ano. Volta às aulas só com vacina. Os pais dos alunos dizem que não vão e professores também.

Pr: Levi Vasconcelos