Na ausência de uma atuação mais efetiva do Ministério da Saúde em relação aos municípios, prefeitos de todo o país decidiram lançar uma campanha informativa própria para reforçar os planos locais de comunicação. Os gestores municipais também cobram, há dias, do chefe da pasta, Eduardo Pazuello, um cronograma de entrega das vacinas com estimativa mensal até o fim de 2021. O intuito é munir os gestores municipais de informações para o planejamento e enfrentamento da pandemia.

 

Deficiência

Em ofício encaminhado a Pazuello, a Confederação Nacional dos Municípios menciona a deficiência de médicos e sugere a inclusão de formados em medicina no exterior que se encontram à disposição no Brasil. 

Mais Médicos

“Cerca de 4 mil profissionais inclusive participaram do Mais Médicos e não tiveram seus contratos prorrogados, razão pela qual não estão sendo aproveitados neste momento crítico”, diz a CNM.

Educação

A entidade também pede ao Ministério da Saúde que o Plano Nacional seja modificado para inserir os profissionais da Educação Básica na fase 2. Sustenta que há a necessidade de retomada das atividades escolares presenciais da forma mais célere possível, sob pena de mais um ano letivo ser perdido para boa parte dos estudantes.