O dep. Jânio Natal apresentou moção na Assembleia Legislativa se congratulando com a população de Camacan pelo aniversário de emancipação do município, que é comemorado hoje, 31 de agosto. No documento, o parlamentar recorda que as origens do município remontam a 1892, quando um grupo de agricultores, que residia às margens do Rio Pardo fez uma viagem de reconhecimento até às nascentes do Rio Panelão, onde foi realizado o plantio dos primeiros cacauais da região.

Com as enchentes do Rio Pardo, em 1895 e em 1905, que destruíram grande parte das lavouras às suas margens, houve uma migração dos agricultores locais, muitos dos quais se fixaram no vale do Panelão, para desenvolver o plantio de cacau sem o perigo das cheias. Em 1914, a grande cheia do Rio Pardo expulsou mais gente para o vale do Panelão e fez surgir os primeiros núcleos de povoação. Em 31 de agosto de 1961, a localidade foi elevada à categoria de município pela Lei n.º 1.465. O deado afirma que, tendo como base econômica a lavoura do cacau, o município conheceu um largo período de prosperidade, em que respondia por parte significativa da economia regional. Contudo, entre 1986 e 1989, a inflação ascendente, a estagnação dos preços internos e os impactos dos encargos financeiros ao crédito, além dos reajustes dos preços da mão-de-obra e de insumos afetaram diretamente a economia cacaueira.

O golpe final sobreveio com a vassoura de bruxa, que devastou a produção de cacau em 1989, afundando de vez a economia do município e de toda a região. Hoje, com uma população de 33.257 habitantes, segundo estimativa do IBGE (2016), Camacan busca alternativas para o desenvolvimento. “Orgulho-me de participar deste trabalho de reerguimento do município, em parceria com o prefeito Oziel Rodrigues e os vereadores que o apoiam. Tenho certeza de que o conseguiremos e hoje faço questão de abraçar os meus irmãos de Camacan, para comemorarmos juntos mais um aniversário desta terra linda. Parabéns, e continuemos juntos, para fazer Camacan melhor”, afirmou Jânio Natal

A imagem pode conter: 1 pessoa, texto