A menina, de 10 anos, que engravidou após ser estuprada pelo tio, no Espírito Santo, ganhou muitos presentes, no hospital, nesta terça-feira, 18, após realizar a interrupção da gravidez, garantida por lei, nesta segunda-feira. O médico Olímpio Morais, diretor do Centro Integrado de Saúde Amaury de Medeiros (Cisam), onde a criança foi atendida, contou que ela só esboçou alguma felicidade depois que o procedimento foi realizado.

A maioria dos presentes que a menina ganhou foram brinquedos e eles não paravam de chegar ao longo do dia. Além disso, chegaram balões e cartazes em apoio à equipe médica que foram colocados do lado de fora do hospital.

“Ela está num quarto com a avó dela e está recebendo todo tipo de presente. Perfume, maquiagem, livros, flores. Ela está bem, dormiu bem, tomou café e voltou a sorrir”, disse o médico.

Todas essas ações de empatia e solidariedade trouxeram um clima bem diferente daquele registrado no domingo, 16, quando fundamentalistas religiosos foram a porta da unidade protestar contra a realização do aborto.

O diretor do hospital afirmou que a menina está bem e tem condições de ter alta médica, mas isso só acontecerá quando forem montados esquemas que preservem a vítima tanto em Pernambuco quanto no Espírito Santo.

“O melhor é que ela voltou a sorrir. Segundo a assistente social que veio com ela, foi a primeira vez que ela sorriu, desde o momento em que começou a acompanhá-la. Então, ela tem condições de alta, mas a gente tem que preparar todo um esquema não só aqui, em Pernambuco, como também no Espírito Santo, para que não aconteça nada com ela parecido com o que quase acontecia aqui”, afirmou